Complexo prisional da Canhanduba recebe mais uma sala de aula pelo projeto “Ajufe por um Mundo Melhor”
26-11-2018 09:35Hs

O Complexo prisional da Canhanduba, em Itajaí (SC), inaugurou na última segunda-feira (19), mais uma sala de educação à distância, que levará cursos online gratuitos a apenados. O projeto “Ajufe por um Mundo Melhor”, da Associação dos Juízes Federais do Brasil, em parceria com o Instituto Mundo Melhor (IMM), pretende qualificar a recuperação de detentos e potencializar a futura ressocialização deles no mercado profissional e em sociedade.

Participaram da entrega representando a Ajufe os juízes federais Rafael Wolff, Moser Vhoss, Carla Fernanda Fritsch Martins, Inezil Penna Marinho Júnior e Charles Jacob Giacomini. Representando o Instituto Mundo Melhor estiveram presentes a presidente Cirlei Simão Pauliki, e o coordenador do instituto, Orion Barbosa.

O PROJETO

O projeto “Ajufe por um Mundo Melhor” tem o objetivo de estimular a educação no ambiente prisional, mediante a implantação uma plataforma de ensino a distância. Além de contribuir para a qualificação profissional de jovens e adultos, a iniciativa propicia a remição da pena e a consequente economia para os cofres públicos. A cada 12 horas de aula, os detentos receberão um dia de remição de pena. De um convênio entre a associação e o IMM foi criado o "Projeto Ajufe por um Mundo Melhor". Para a custear a iniciativa, a Ajufe incentiva magistrados a destinarem valores de prestação pecuniária para criação de salas virtuais e o instituto fornece cursos, gratuitamente.

As salas virtuais são espaços equipados com computadores e sistema de internet para acesso à Plataforma de Ensino a Distância Mundo Melhor, constituída por cursos online de curta e média duração, entre 4 a 16 horas. A missão do Judiciário como apoiador da proposta de levar qualificação profissional para o apenado é concretizada com a destinação de verbas oriundas de prestação pecuniárias para a construção de salas, com a conscientização acerca da relevância da educação no ambiente prisional e o estímulo à priorização da educação em sede de execução penal.

A Ajufe, renovando seu compromisso com a magistratura e com o Brasil, assume o protagonismo na difusão das boas práticas, para que todos os magistrados tenham condições de colaborar com o aprimoramento das instituições. “A educação é uma das molas propulsoras da ressocialização, a qual se constitui em um dos objetivos primordiais da pena. Em virtude disto, a Ajufe e os juízes federais não poderiam deixar de dar sua contribuição nesta seara, inclusive para que o investimento no sistema prisional seja mais efetivo”, afirmou o juiz federal Rafael Wolff.

O Instituto Mundo Melhor, por sua vez, disponibiliza a plataforma de ensino à distância, constituído por mais de cem cursos online e também oferece certificação acadêmica através da Unopar, para utilização como remição de pena. O IMM fornecerá os cursos, por 4 anos.