IMM irá instalar salas virtuais em presídios de Manaus

O administrador Marcio Pauliki, fundador do IMM, destaca que projetos voltados a capacitação, além de oferecem uma nova chance aos detentos, ainda reduzem o risco deles voltarem a praticar delitos ao serem reinseridos na sociedade.

27/08/2020

IMM irá instalar salas virtuais em presídios de Manaus

Mais uma vez expandindo seus projetos para outros estados, o Instituto Mundo Melhor (IMM) firmou, na última semana, uma parceria com a Embrasil – empresa responsável pela administração de presídios no Amazonas. O objetivo desta parceria é levar os cursos online de capacitação para duas unidades prisionais na cidade de Manaus.

Marcio Pauliki, fundador do IMM, argumenta que a terceirização do sistema prisional é uma solução para a atual decadência. “A parceria público-privada é uma excelente forma de permitir que a instituição particular assuma as demandas sem ônus para a administração pública e, ainda, contribua diretamente para reinserção dos detentos na sociedade”, frisa.

O modelo de terceirização também é aprovado pela diretora da Escola de Administração Penitenciária – ESAP - SEAP, Sônia Maria Bezerra Cabral. Segundo ela, a co-gestão prisional com a Embrasil foi muito importante para o sistema prisional, pois trouxe experiências válidas e boas práticas que já estão em ação, além de possibilitar essa parceria com o Instituto Mundo Melhor.

“A parceira com o IMM é a melhor coisa que aconteceu nos últimos tempos, pois oferece cursos online de capacitação para os reeducandos, algo que fará a diferença no processo de socialização, incrementando a empregabilidade para quando eles voltarem a sociedade”, destaca a diretora.

Desde 2012, o IMM oferta cursos de iniciação e qualificação profissional na modalidade a distância no sistema prisional, em que a cada 12 horas de treinamento, os detentos recebem um dia de remissão de pena. “Projetos voltados a capacitação das pessoas privadas de liberdade, como esse do IMM, são de extrema importância para a sociedade como um todo. Pois, além de oferecerem uma nova chance aos detentos, ainda reduzem o risco deles voltarem a praticar delitos ao serem reinseridos na sociedade”, evidencia Pauliki.

 

×
Comunicado